originally ccal / via fact0r / reblog this post
originally resonares / via resonares / reblog this post
Sapato baixo, calça larga e cabelo preso. Esquentou e seus ombros tensos agradecem. Que cara bonita é essa? Já logo no elevador. Ah, devo ter dormido bem. Bom dia, bom dia. Olha, você está muito bonita hoje. Um fala, outro concorda. E pelos corredores, sorrisos dão continuidade aos elogios. O que é?Que segredo ela guarda? Que novidade é essa? Na cozinha perguntam: novo amor? No estacionamento perguntam: voltou com alguém? No restaurante, na hora do almoço: é alguém novo? Cruza com um namorado antigo “nossa, você tá muito… é o quê? Sexo? A noite toda? Conta, vai, eu agüento ouvir”. Contar o quê? No espelho, enquanto escova os dentes, fecha os olhos e sabe pra si o segredo: ninguém. Não gostar de ninguém.
~ Tati Bernardi. (via rejeitei)

originally befowre / via auroriar / reblog this post
Amores sempre vêm e vão mas nunca vêm em vão.
~ Eu me chamo Antônio.   (via auroriar)

Nunca estamos prontos o suficiente para saber de algo, podemos até planejar e tentar no mínimo manter a pose, erguer a cabeça, e através de um teatrinho recebemos a bomba, que por fora não me causou estragos, mas de tão traiçoeira me destruiu por dentro, e o pior, ninguém viu.
~ Fred Medeiros. (via teleportear)

  • me: haha hey guys do u dare me to eat this whole thing of ice cream
  • them: no
  • me: *shaking my head and chuckling* i cant believe you guys are making me do this
  • them: we're not
  • me: *eating right out of the thing* this is so wild you guys you're so fucked up for making me do this
E tua ausência fazendo silêncio em todo lugar.
~ O Teatro Mágico. (via teleportear)

theme by
intercalado